13/07/2015 - 14:48
Atitudes Sustentáveis na Construção: Uso de energia Solar

A radiação solar pode ser utilizada diretamente como fonte de energia térmica, para aquecimento de fluidos e ambientes e para geração de potência mecânica ou elétrica. Pode ainda ser convertida diretamente em energia elétrica, por meio de efeitos sobre determinados materiais, entre os quais se destacam o termoelétrico e o fotovoltaico.

O aproveitamento da iluminação natural e do calor para aquecimento de ambientes, denominado aquecimento solar passivo, decorre da penetração ou absorção da radiação solar nas edificações, reduzindo-se, com isso, as necessidades de iluminação e aquecimento. Assim, um melhor aproveitamento da radiação solar pode ser feito com o auxílio de técnicas mais sofisticadas de arquitetura e construção.

O aproveitamento térmico para aquecimento de fluidos é feito com o uso de coletores ou concentradores solares. Os coletores solares são mais usados em aplicações residenciais e comerciais (hotéis, restaurantes, clubes, hospitais etc.) para o aquecimento de água (higiene pessoal e lavagem de utensílios e ambientes).

Entre os vários processos de aproveitamento da energia solar, os mais usados atualmente são o aquecimento de água e a geração fotovoltaica de energia elétrica. No Brasil, o primeiro é mais encontrado nas regiões Sul e Sudeste, devido as características climática, e o segundo nas regiões Norte e Nordeste, em comunidades isoladas da rede de energia elétrica.

Coletor Solar: A radiação solar pode ser absorvida por coletores solares, principalmente para aquecimento de água, a temperaturas relativamente baixas. O coletor é instalado normalmente no teto das residências e edificações.Devido à baixa densidade da energia solar que incide sobre a superfície terrestre, o atendimento de uma única residência pode requerer a instalação de vários metros quadrados de coletores. Por exemplo, em uma casa com 3 ou 4 moradores serão necessários cerca de 4m² de coletores (placas solares).

Conversão de Radiação Solar em Energia Elétrica: A radiação solar pode ser diretamente convertida em energia elétrica, por meio de efeitos da radiação (calor e luz) sobre determinados materiais. O sistema termoelétrico, embora muito empregado na construção de medidores de energia, seu uso comercial para geração de eletricidade tem sido impossibilitado pelos baixos rendimentos obtidos e pelos altos custos dos materiais.

Para a geração de eletricidade em escala comercial, o principal obstáculo tem sido o custo das células solares. Atualmente os custos de capital variam entre 5 a 15 vezes os custos unitários de uma usina a gás natural. Contudo, nos últimos anos tem-se observado redução nos custos de capital.

No Brasil

Aquecimento de Água: A tecnologia do aquecedor solar já vem sendo usada no Brasil desde a década de 60, época em que surgiram as primeiras pesquisas. E na década de 70, empresas passaram a utilizá-la comercialmente. No Brasil, somente com aquecimento doméstico de água para banho, são gastos anualmente bilhões de kWh de energia elétrica, os quais poderiam ser supridos com energia solar, com enormes vantagens socioeconômicas e ambientais. Mais grave ainda é o fato de que quase toda essa energia costuma ser consumida em horas específicas do dia, gerando uma sobrecarga no sistema elétrico. Além disso, há uma enorme demanda de edifícios comerciais e públicos, que podem ser devidamente atendida por sistema de aquecimento solar central.

Embora pouco significativos diante do grande potencial existente, já há vários projetos de aproveitamento da radiação solar para aquecimento de água no País. Essa tecnologia tem sido utilizada em residenciais, hotéis, hospitais, restaurantes e no aquecimento de piscinas. Um dos principais entraves à difusão da tecnologia de aquecimento solar de água é o custo de aquisição dos equipamentos, particularmente para residências de baixa renda. Mas a tendência ao longo dos anos é a redução dos custos, em função da escala de produção, dos avanços tecnológicos, do aumento da concorrência e dos incentivos governamentais. Fatores que tem contribuído para o crescimento do mercado são: divulgação dos benefícios do uso da energia solar, isenção de impostos, financiamentos para instalação do sistema, além da necessidade de reduzir os gastos com energia elétrica nos tempos de racionamento.

Benefícios: Com a instalação do Sistema de Aquecimento Solar (SAS), há uma economia de até 50% na conta de energia elétrica. Com isso todo o investimento inicial retorna, no geral, entre 0 e 24 meses, mas a tendência é de queda desse prazo ao longo dos próximos anos. Como o sistema tem uma vida útil de 15 a 20 anos em média, a sua utilização é muito vantajosa.

Cada m² de coletor solar instalado, utilizado durante um ano, equivale a:

·56 metros quadrados de áreas inundadas (hidrelétricas);

·215 quilos de lenha;

·66 litros de diesel;

·55 quilos de gás.

As oportunidades de financiamento para projetos dessa natureza ajudarão a fornecer capital para instalação de sistemas de cobertura de edifícios comerciais, estacionamentos, armazéns e lojas de varejo, além de residências. Atualmente, gerar energia solar em casa, no Brasil, por exemplo, já permite que não se tenha que pagar nada na conta de luz no fim do mês e até ficar com crédito com a distribuidora de energia.


Autor(a): Cristine Ferro



COMPARTILHE:

Veja outros posts
Página Inicial Mais artigos Voltar

(49) 36770907

Rua São Bonifácio, 78 - Centro
Itapiranga - SC
CEP 89.896-000

Mapa de Localização
Acesse nossos canais:

Portal Força d'Oeste © Todos os direitos reservados
Desenvolvido por DBlinks Agência Digital